.

.

.

.

.

.

santa rosa

Ex-dançarina vai entrar com ação trabalhista contra o É o Tchan

|

Se engana quem pensa que acabou o imbróglio envolvendo o É o Tchan e uma de suas dançarinas, Joyce Mattos, que fez graves denúncias contra o grupo. Na última sexta-feira, um vídeo de Joyce, que foi dançarina do grupo durante cinco anos, desabafando sobre a forma como era tratada pelo líder da banda, Compadre Washington, foi parar na internet.
Em entrevista à coluna de Léo Dias, Joyce, que ganhava um cachê de R$ 250 a cada apresentação do grupo, afirmou que vai entrar com um processo trabalhista contra a banda. Atualmente, eles faziam cerca de quatro apresentações por mês. Ela não tinha INSS ou FGTS. Joyce também vai pedir na Justiça uma indenização por danos morais.

"Eu pretendo entrar com uma ação contra o grupo por dados morais e psicológicos, porque desde quando houve as conversas de desligamento da empresa que eu não durmo. Depois dessa situação do vídeo eu passei mal na estrada. Quem acompanha minha rede social percebe que eu estou psicologicamente abalada. Eu fui humilhada", contou.
Joyce disse que, desde que o vídeo viralizou, apenas a filha de Compadre Washington a procurou. "Ela quis saber o motivo de tanta agressividade com o pai dela. Mas falou educadamente comigo". A dançarina afirmou que gravou o vídeo por “segurança” e salientou que não era pra ser divulgado.
"Eu confiei em uma única pessoa. Mandei o vídeo e disse que era uma prova se alguma coisa acontecesse comigo. Pedi para não enviar para ninguém e acabei sendo traída. Pelo meu vídeo, as pessoas entenderam que houve uma agressão física e não houve. Foi uma agressão moral! Quando Compadre Washington estava incomodado com alguma situação, ele falava isso no microfone para todo mundo ouvir durante o show”.

A dançarina diz que não pretende retornar ao grupo. "Eu não quero voltar. Aprendi muitas coisas nesses anos, mas agora eu tiro um peso das costas. São muitos podres que as pessoas não sabem que acontecem ali dentro. Para trabalhar ali, a pessoa precisa se sujeitar a algumas situações. Mas já quero deixar claro que não tem nada a ver com assédio sexual. Eu nunca fui obrigada a ter nada com ninguém”.
Por fim, ela revelou o real motivo de sua saída da banda: “o problema da minha saída não foi o vazamento do meu vídeo. Foi realmente porque eles queriam legalizar as documentações da forma que eles achavam que era legal. Tem muitas coisas nos bastidores, mas meu advogado quer evitar que eu precise me expor ainda mais. Porém, se eu realmente for lesada, tenho fotos, vídeos e gravações de conversas que posso provar as humilhações". (Bocão News)

 

©2011 NOTÍCIAS DE UBATÃ ::: Conectado com Você !!! | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Ubatahosting